Pages

O que é a Criptografia?

Apesar de a criptografia ficar bastante conhecida após as grandes repercussões da Justiça Brasileira contra o WhatsApp, devido ao impedimento da justiça obter dados de conversas em WhatsApp de criminosos, ela não é propriamente uma tecnologia tão nova. Para quem usa bastante a internet e computadores, sabe que ela se encontra em toda parte.

De origem grega, a palavra “criptografia” pode ser traduzida como “escrita escondida”. É o estudo dos princípios e técnicas pelas quais a informação pode ser transformada em legível para ilegível para quem não possua a chave secreta (como se fosse uma senha), o que torna a mensagem difícil de ser lida por alguém sem autorização.
A criptografia moderna é basicamente formada pelo estudo de algoritmos criptográficos (pura matemática) que podem ser implementados em aparelhos tecnológicos. A criptografia permite que serviços existam com maior segurança e, em alguns casos, como o banco online, é condição básica para a viabilidade do serviço.
No passado a criptografia era usada para evitar que mensagens pudessem cair em mãos erradas. Hoje em dia a criptografia avançou, mas seu objetivo continua sendo o mesmo, a tecnologia usa a criptografia para que a troca de informações online seja cada vez mais segura. O conceito é o mesmo: codificar mensagens para assegurar a integridade da informação.
A segurança da criptografia é definida pela quantidade de bits aplicada a ela. Antigamente a criptografia usava uma chave de 8 bits que gera 256 combinações possíveis. E isso permitia que pudesse ser quebrada por qualquer um que possuísse tempo suficiente para resolvê-la. Mas atualmente contamos com a criptografia de 128 bits, que exigiria uma década e centenas de computadores trabalhando juntos para conseguir quebrar sua chave de segurança.

Existem dois tipos de criptografia; simétrica e assimétrica.
Na criptografia simétrica, o emissor e o receptor possuem a mesma chave. Ou seja, o emissor codifica a mensagem e o receptor a traduz. Nesta criptografia a chave é exatamente a mesma tanto para codificar quanto para traduzir. É o método mais utilizado no caso de envio de e-mails, por exemplo.
Na criptografia assimétrica são utilizadas duas chaves diferentes; uma pública e outra privada. A chave pública pode ser divulgada livremente, pois esta é capaz apenas de codificar a mensagem. Já a chave privada deve ser mantida em segredo, pois é a única capaz de traduzir o que qualquer um pode codificar. É o método mais utilizado na aplicação das senhas de cartão de crédito, por exemplo.
A criptografia é essencial para a troca de informações através da internet, mas apesar de tanta segurança, só esta tecnologia não é capaz de garantir segurança absoluta. Sempre vão existir pessoas capazes de desenvolver técnicas para quebrar estas chaves, por este motivo é que novas técnicas são criadas a cada dia e as existentes são aperfeiçoadas constantemente.
É fácil criticar a criptografia a partir de todas as notícias ruins que a cercam, como as batalhas judiciais do Brasil conta o WhatsApp, por exemplo, mas a criptografia é uma parte importante do ambiente tecnológico. Todos nós utilizamos a criptografia. A diferença é que na computação ela é aplicada sem que você se dê conta disso. Além da criptografia, é importante o usuário saber usar a internet e suas ferramentas de forma segura.

Quando se trata de conhecimento, a Integrate tem o objetivo de esclarecer qualquer dúvida de seus leitores. Gostamos de manter nossos clientes e amigos sempre bem informados. Portanto em caso de dúvidas, entre em contato pelo telefone (31) 3344-8177 e conheça nossos serviços em nossa Central do Cliente.




Autor(a): Carolina Cordoval Melo

Carolina Cordoval Melo - Redatora Web - Integrate Software e Technology

Redatora Web pela empresa Integrate Software e Technology especializada em Inbound Marqueting e Marqueting de Conteúdo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário